Guilherme Augusto partiu deixando saudosos seus amigos e deixando uma lacuna na Imprensa Paraense de onde era um dos melhores textos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui