O resto do tempo os presos usavam na recuperação das carteiras das escolas estaduais, que eram de madeiras e duravam por uma vida, ao contrário das de hoje que são plástico e só duram um ano letivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui