As autoridades policiais e judiciais de Marabá ficaram impressionadas com o silêncio que envolveu os crimes. A despeito de fortemente interrogados todos negaram os crimes, mostrando que são bandidos escolados e acostumados com a lei criada pela bandidagem nas penitenciárias, segundo a qual quem falar morre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui