Antes do massacre, já era distribuída, na cidade de Altamira, uma carta denunciando a direção do presídio, chefiada por uma advogada que atuaria na defesa de alguns presos e que nunca fizera uma vistoria nas celas, e que a cantina do presídio estava sendo explorada por um preso, o que era do conhecimento da direção.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of