Delírio é o show que traz vozes e emoções femininas de grandes cantoras da música brasileira: Gal Costa, Elis Regina, Maria Bethania, Luedji, Amelinha, Rita Lee, entre outras divas. Uma noite para se render aos delírios do cantar e do universo da mulher do Brasil, com show nesta sexta, dia 28, a partir das 22h, na Casa do Fauno.

“Trazer vozes femininas para o palco é iluminar ideias de sensibilidade e força: um passeio pela música que fala das dores, prazeres e devaneios de ser mulher”, diz Yvana Crizanto, cantora que se propôs a interpretar um repertório rico de emoções. O show traz também o traço único de Laíla ao violão, e uma percussão inebriante pelo tom de Kleber Benigno.

Híbrido, o show traz um canto que se entrelaça a outros sons, ora de memórias gravadas, falas ou de uma performance percussiva, para um instante em que se permite ao delírio. Um convite ao público a passear pela arte de olhos fechados. O envolve o público em uma narrativas muito semelhantes ao cotidiano e as transitoriedades de mulheres, em falas ainda necessárias mesmo em pleno século XXI. “Trazemos músicas de décadas passadas, mas também dos dias de hoje, em que a artista e mulher buscam voz em um Brasil oprimido”, diz a cantora.

Samba, bolero, bossa para o feminino da música brasileira em uma noite delirante. O repertório foi escolhido a partir de composições feitas por mulheres, ou mesmo grandes sucessos que foram marcantes em vozes femininas, como “Vaca Profana”, eternizada na voz de Gal Costa, ou “Reconvexo”, com Maria Bethania.

Artistas

Yvana Crizanto
Cantora, jornalista e pesquisadora em artes, com foco no canto e na fotografia, Yvana Crizanto tem experimentado no palco, mas também em práticas artísticas e de estudo o universo da música e seus desdobramentos na identidade, ponto de partida para sua pesquisa. Realizou a oficina experimental Universo de Si: canto e fotografia, no Casulo Cultural – PA (2016-17), e no Curro Velho – PA e Sesc Sorocaba – SP (2018), como parte da exposição Atravessamentos, da Associação Fotoativa. Expôs sua pesquisa em eventos acadêmicos como o III Encontro de Antropologia Visual da América Amazônica (EAVAAM) UFPA – PA (2018), o Congresso Nacional Arte e Mídia – MA (2017), ou o II Encontro Regional Norte da Associação Brasileira de Etnomusicologia UFPA – PA (2017). Em 2018 foi contemplada com o espetáculo Água, com Tati Benone, no Prêmio de Produção e Difusão Artística, do Programa Seiva, da Fundação Cultural do Pará (FCP); estuda técnica em Canto na Escola de Música da Ufpa (Emufpa) (2017), e no ano passado lançou o duo de canto Inversos, com Helton Lobão, com shows de repertório de Cartola no Barzin, Sesc Boulevard, Casa do Fauno, Apoena, entre outros locais de arte e música em Belém.

Kleber Benigno
Desde 2000, Kleber Benigno, Márcio Jardim e Nazaco Gomes integram o Trio Manari, e mergulham na sonoridade amazônica para retirar do universo do negro, do índio, do caboclo marajoara e de suas crenças e lendas o material sonoro para a releitura de canções populares. A incursão pela musicalidade da Amazônia está registrada no álbum “Braços da Amazônia”, de 2002. O trabalho tem participações de Fafá de Belém, Nilson Chaves, Andréa Pinheiro, Floriano e Iva Rothe, além de músicos como Adelbert Carneiro. O trio integrou o grupo “Percussão Brasil”, que acompanhou a cantora Jeanne Darwich em turnês pelo Canadá, em 2000. Com o CD ‘Braços da Amazônia’, há três anos consecutivos, o Manari é selecionado entre dez mil concorrentes para participar do Percussive Arts Society International Convention (PASIC), em Nashville (EUA), além de já ter realizado shows na França e Portugal.

Lourdes Laíla
Musicista, estudou Música na Universidade do Estado (UEPA), e hoje estuda Técnico em Arranjo e Composição Musical na Escola de Música da UFPA (Emufpa). Foi integrante do Charme do Choro, tocando violão grupo de instrumentistas paraenses. Destaca-se na trajetória do grupo: os espetáculos De Bem Com a Vida, realizado em Abril/2007, com reapresentação no I Festival de Choro da Casa do Gilson, como atração convidada do evento; De tirar o Chapéu (março/2010/2012), show com repertório de composições femininas e interpretações masculinas: Arthur Nogueira; Hélio Rubens; Olivar Barreto; Pedrinho Cavalléro e Renato Torres. Atração convidada do concerto Noites Brasileiras do violonista Salomão Habib em 2010 e do projeto Terruá Pará II (2011), e espetáculo O Choro e a Lírica homenageiam Da Paz e Waldemar, em homenagem ao 134 anos do Theatro da Paz e o 107º aniversário do maestro Waldemar Henrique (Fevereiro/2012).

Serviço
Show Delírio, com Yvana na voz, Laíla no violão e Kleber Benigno na percussão, a partir das 22h, na Casa do Fauno – rua Aristides Lobo, 1061, entre Benjamin e Rui Barbosa. Ingressos a 15 reais. Contato: 98838.1808

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of