Enquanto não chegar o verão, o congestionamento de carretas e caminhões para atravessar o rio Moju, não acabará. É que a queda da ponte aconteceu no pior momento, quando as chuvas fortes continuam impedindo que as estradas que poderiam servir de alternativas para a travessia das balsas, fiquem transitáveis. Se houvesse sol forte, uma patrulha mecanizada já tinha tornado as estradas com condições mínimas de uso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui