A sede da Academia Paraense de Letras continua atraindo os ladrões. Se não fossem os vigias pagos pelo presidente Alcyr Meira, os lunfas já tinham carregado o pouco de valor que o prédio da João Diogo ainda possa ter no seu interior. Mesmo sob vigilância, já houve duas tentativas dos bandidos de arrombar a sede da APL.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui