Ideflor-bio sinaliza nova trilha de longo curso na Grande Belém

0
Técnicos do Ideflor-bio iniciaram a sinalização da Rota do Guarumã (Foto: Ascom Ideflor-bio)

Técnicos do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio) iniciaram nesta quarta-feira, 14/11, a sinalização da Rota do Guarumã. A nova trilha de longo curso irá interligar três Unidades de Conservação da Grande Belém e atravessar quatro municípios: Belém, Ananindeua, Marituba e Benevides.

A sinalização iniciou pelo trecho da trilha que fica no Parque Estadual do Utinga. Os outros 30 km do percurso serão sinalizados nas próximas semanas. A sinalização segue o padrão do Sistema Brasileiro de Trilhas de Longo Curso, criado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e, portanto, trabalha com marcações reconhecíveis até mesmo internacionalmente.

“Isso garante que a trilha, aberta por profissionais do turismo, condutores e voluntários do Ideflor-bio seja trafegável por visitantes de todo o país e do mundo”, afirma Letícia Freitas, turismóloga do Ideflor-bio.

A trilha é uma ótima pedida para os amantes dos esportes de aventura e da vivência na natureza. O diferencial é que atravessa três UCs paraenses: o Parque Estadual do Utinga, a Área de Proteção Ambiental Metropolitana de Belém e o Refúgio de Vida Silvestre Metrópole da Amazônia.

Aqueles que se aventurarem no percurso de 30 km terão o contato direto com a exuberante natureza regional, que guarda riquezas raras e até ameaçadas de extinção quando o quesito é fauna e flora. A floresta ombrófila densa, com mata primária e secundária é a principal fisionomia da Rota. Há também a mata de igapó, característica da região, com terrenos inundados, igarapés, rios e muita aventura.

O percurso atravessa também algumas comunidades tradicionais e ribeirinhas, como as comunidades de Nossa Senhora dos Navegantes e Rancheiro. E como recompensa para os aventureiros, o sítio Bom Jesus é uma parada estratégica para alimentação e pernoite.

“A Rota do Guarumã será inaugurada nos dias 15 e 16 de dezembro. Como ela será toda sinalizada e também disponibilizaremos o shape da trila e demais informações no site do Ideflor-bio, ela vai ser aberta a todos os aventureiros. Mas também disponibilizaremos uma lista de empresas de esporte de aventura credenciadas, que poderão ser acionadas pelos grupos que desejam fazer o percurso de forma assessorada”, acrescenta a turismóloga.

Unidades de Conservação – As três UCs integradas pela Rota do Guarumã apresentam diversas características que as tornam lugares ideais para o turismo de natureza. O Parque Estadual do Utinga, no coração de Belém, é uma área de quase 1.400 hectares, com vegetação preservada que cresce ao redor e sob dois mananciais que abastecem cerca de 70% da população da Região Metropolitana de Belém, os lagos Bolonha e Água Preta. O Parque abriga mais de 300 espécies de plantas e 400 espécies de animais, entre aves, animais terrestres e aquáticos.

Já a APA Metropolitana de Belém é uma UC de uso sustentável que circunda o Parque do Utinga e dentro da qual são incentivadas ações de uso e convivência sustentável com os recursos naturais amazônicos. A APA integra o Parque Estadual do Utinga com o Refúgio de Vida Silvestre Metrópole da Amazônia, formando um corredor ecológico de cerca de 15 mil hectares de áreas protegidas.

O Refúgio de Vida Silvestre protege, além de uma amostra da fauna e da flora amazônica, uma parcela da história da região com resquícios históricos e arqueológicos que remontam ao período escravocrata e dos engenhos no Pará. A Rota do Guarumã permite, além de muita aventura, o contato dos visitantes com o rico patrimônio natural e cultural da Amazônia.

Por Dilermando Gadelha

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here