Quando falamos da Amazônia, a primeira referência é a floresta, às vezes, os animais. Raramente o ser humano é retratado como elemento presente, mesmo que haja uma população tão diversa e rica em peculiaridades. “É um projeto que não só não nasceu projeto, como sempre existiu, o humano sempre esteve aqui. É um projeto infinito que me leva a lugares de afeto, reais ou abstratos, seja por lugares físicos, memórias e pessoas”, diz Rao Godinho, fotógrafo autor do projeto HUMANAMAZÔNIA, que recebeu chancela da Embaixada Brasileira em Lisboa, e está em exposição na capital portuguesa até 28 de novembro, na galeria da livraria Sá Costa.

A mostra abriu no último dia 13, trazendo fotos premiadas em São Paulo e Nova York. “Tomar essas pessoas como algo menos importante dentro desse ecossistema é ignorar a própria selva, o próprio rio. Há uma simbiose impressionante com a floresta. Essa não-relação é devida à dissociação da humanidade à natureza, como se fôssemos ‘menos naturais’. Diferentemente das pessoas das grandes cidades, o povo amazônico não se vê separado da natureza. Ir atrás das peculiaridades da vida do ribeirinho, do ‘caboco’, dessa ‘outra estética’, é buscar entender mais a fundo o que é a Amazônia”, diz Rao.

Nascido e criado em Belém do Pará, Rao começou seu interesse pelas artes ainda na infância, “cresci numa casa onde a arte é muito presente”, diz. Desde criança ficava encantado, viajando com as imagens do Luiz Braga, que retrata o humano amazônico impecavelmente, e desde o início é uma de suas maiores influências. E completa: “a busca pelo humano, pela vida, é minha maior inspiração. A estética amazônica me encanta, me motiva e consegue extrair o que há de mais nobre no meu olhar e no meu coração, principalmente por eu mesmo ser mais um ribeirinho pulando no rio”.

O fotógrafo
-Exposições no Rio de Janeiro, Pará e Santa Catarina (Brasil) e Lisboa (Portugal);
-Prêmios: World Water Day 2012 (Nova York), “O fim dos clicks?” 2012 (Museu da Imagem e do Som – Campinas – São Paulo), #BolaBR Instagrambrasil 2015 (36 mil likes), duas fotos selecionadas no Salão Nacional de Fotografia Pérsio Galembeck – 08/15, uma foto selecionada para o Salão Nacional de Fotografia de Araraquara – 07/16, foto usada pelos Correios em selo comemorativo aos 400 anos de Belém, fotos selecionadas no concurso ECOfoto 2017: Vivências e experiências profissionais nas áreas de Ciências Humanas e Sociais (Rio de Janeiro).
-Publicação na VIB – Very Important Brazilians 07/2015 e 03/2016 (Alemanha) revista sobre brasileiros importantes, publicações na Revista da Azul de 10/2015 e 07/16, Capa do site METRO Jornal 09/17. Publicação na revista polonesa Podroze de 08/18
-Fotógrafo parceiro da rede Slow Food Internacional e ONG Iacitatá – Amazônia Viva
-Atualmente trabalhando com ensaios e decoração

Serviço
Exposição HUMANAMAZÔNIA, em Lisboa até 28 de novembro, na galeria da livraria Sá Costa. Entrada livre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui