Trilhas, cavernas e cachoeiras convidam ao turismo de aventura no Xingu

0
Cachoeira de Planaltina (Foto: Wilson Soares/Brasil Novo - Pará)

Uma viagem a trabalho para a Região do Xingu, no oeste do Pará, pode ser uma boa ocasião para conhecer belas paisagens, com trilhas, cachoeiras e cavernas guardadas entre a imensidão verde da floresta. Se for neste período do ano melhor ainda, pois a frequência de chuvas aumenta o volume de água das cachoeiras, deixando o cenário mais exuberante e ideal para um mergulho, com o devido registro para exibir aos amigos nas redes sociais.

Para quem está com voos marcados para Altamira, o principal município da área de influência do Rio Xingu, e tem um tempo sobrando, a sugestão é seguir em direção ao município de Brasil Novo, distante 45,8 km, para conhecer o Sítio Ecológico Raízes do Xingu, uma área preservada de 125 hectares. Ali, o viajante se deleita com um espetáculo natural formado por trilhas que levam a mais de quatro cachoeiras e seis cavernas, entre outras surpresas e curiosidades. Os destaques são a Cachoeira da Planaltina e a maior caverna de arenito da América Latina, alvo de pesquisadores.

Para quem gosta de turismo ecológico o local é ótima opção. Ao entrar no sítio, paga-se uma taxa de manutenção no valor de R$ 15,00. A Cachoeira da Planaltina, que pode ser avistada de uma escadaria (após descer 100 degraus) é perfeita para o banho, pois sua queda d’água de 25 metros de altura fica em um belo conjunto natural, com um lago que, dependendo do período do ano, atinge tons esverdeados. O local é rodeado de paredões de cavernas, que na parte exterior ostentam um jardim vertical, composto de exemplares da flora da região.

Trilhas – Após conhecer a cachoeira da Planaltina e fazer fotos da caverna, a sugestão é percorrer as trilhas que levam a mais cachoeiras e corredeiras: a Trilha das Cachoeiras, formada por três quedas d’água menores, medindo cerca de 500 metros, e a Trilha do Guariba, que atravessa toda a área do sítio até o Igarapé do Arrependido, um recanto preservado da região favorável ao caiaque, canoagem e rafting. Para os mais ousados há uma área para a prática do balonismo, no alto de uma serra.

Há 12 anos administrando o Sítio Ecológico Raízes do Xingu, Eduardo Modesto informa que adquiriu o espaço após conhecer as belezas naturais, na época em que foi secretário de Turismo e Meio Ambiente de Altamira. “O Pará tem muitas belezas naturais e aqui, na Transamazônica e no Xingu, temos esse sítio ecológico. Antes, a comunidade visitava, mas não havia critérios. Caçavam no local e tudo ficava abandonado e riscado. Com o tempo, fui organizando o espaço para que a população pudesse usufruir um pouco dessa beleza natural”, conta.

Infraestrutura – A infraestrutura do sítio oferece chalés para hospedagens aos finais de semana e um restaurante, que serve comida típica feita em forno a lenha. Entre os visitantes, oriundos de várias partes do mundo, destacam-se estudantes e pesquisadores, curiosos para explorar a maior caverna de arenito da América Latina, que fica a 150 metros da Cachoeira da Planaltina e tem 1.500 metros de comprimento, somando salões e dois pisos. “Temos a felicidade de contribuir com o setor cientifico da região, por meio de 15 cursos das universidades que fazem aula prática aqui”, ressalta Eduardo Modesto.

Rota do Cacau – Segundo a Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Altamira e Brasil Novo são municípios da região do Xingu que irão compor a Rota do Cacau, junto com Vitória do Xingu e Medicilândia. O projeto, que está em fase de visitas técnicas, inventários e implementação, deve manter a cidade de Altamira, com sua infraestrutura de hospedagem e locais para realização de eventos e negócios, como base para se chegar à região por via aérea.

A partir de Altamira, o turista ou viajante de negócios poderá se deslocar com facilidade entre os quatro municípios, em pouco mais de duas horas, aproveitando para conhecer – além das cachoeiras, corredeiras, cavernas e grutas -, as fazendas de cacau.

Como chegar – De Belém a Altamira há voos diários pela Azul, com duração de 1 h. Ao chegar a Altamira, o viajante segue em direção à Rodovia BR-230 (Transamazônica), no sentido de Medicilândia, até o travessão da vicinal 15. O sítio Raízes do Xingu fica a 5 km. A viagem dura cerca de 50 minutos e pode ser feita em táxi fretado, em carro particular ou alugado.

Saindo de Brasil Novo, são 10 km em direção à vicinal, e a viagem pode ser mais barata se o deslocamento for de mototáxi, que custa em torno R$ 30,00. Mais informações: (93) 99173-7849.

Por Julie Rocha/SECOM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here