Mangal das Garças atrai mais de 200 mil visitantes em 2017

0
O borboletário do Mangal das Garças é um dos maiores do Brasil, e suas espécies fascinam crianças e adultos
(Foto: Antonio Mokarzel/BelémdoPará)

Reconhecido nacionalmente por aproximar o público das belezas naturais da Amazônia, o Mangal das Garças possui diversas ações voltadas tanto para o turismo, quanto para o meio ambiente. O parque ambiental dispõe, por exemplo, de monitores que realizam passeios educativos pelos espaços, mostrando ao público a história e as características da flora e fauna amazônicas. A ação faz parte do projeto de educação ambiental realizado pela Pará 2000, organização que administra o local, e recebe em média quatro escolas diariamente.

No início da semana, alunos dos cursos de Floresta, Meio Ambiente e do curso de Alimentos, do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), vieram a Belém especialmente para conhecer o Mangal e aproveitaram para participar do projeto de educação ambiental, ocasião em que com o auxílio de guias aprenderam um pouco mais sobre a importância da conservação e do uso racional dos recursos naturais.

A visita foi uma premiação aos alunos que realizaram os melhores projetos de extensão no campus de Barreirinhas durante a 7ª Semana do Meio Ambiente.

“Já estive aqui outras seis vezes e não deixo de me encantar. Tudo é muito lindo, organizado, e inspira outras regiões do país a fazerem a mesma coisa”, destaca Eliane Souza, professora do IFMA.

A visita monitorada é gratuita. Até outubro de 2017, o projeto já recebeu mais de 200 grupos compostos por turistas, famílias e, principalmente, escolas e instituições de ensino de diferentes regiões, os quais juntos somam quase sete mil participantes. Se adicionarmos a essa soma as pessoas que visitam o Mangal apenas para contemplação dos espaços, esse número é superior a 200 mil visitações ao ano. Todos atraídos pela oportunidade de ver de perto as espécies amazônicas e contemplar as belezas do Parque.

Durante a visita, os participantes aprendem sobre a Amazônia de forma interativa, entrando em contato com os animais e jardins do Parque Naturalístico; conhecem um dos maiores borboletários do Brasil; podem observar o viveiro dos pássaros, o momento de alimentação das garças, além de se encantar com um Mirante localizado as margens do rio Guamá. No Museu da Navegação, o público explora mais sobre a história das embarcações utilizadas na Amazônia ao longo do tempo, entre outras atividades de lazer e educação ambiental.

Rio, vegetação nativa, animais, história. O Mangal das Garças reúne um pouco de vários atrativos, que encantam turistas do Brasil e exterior (Foto: Cristino Martins/Agência Pará)

Preservação – Além de ser um importante equipamento turístico do Estado do Pará, os cerca de 40 mil metros quadrados que compreendem o Mangal das Garças foram projetados para ser um ambiente de conservação e preservação de espécies ameaçadas de extinção, e comporta mais de 100 espécies entre fauna e flora.

“No Parque é possível observar, por exemplo, a Cuieira, espécie que dá origem a cuia onde se serve o famoso Tacacá. Essa e outras espécies da flora amazônica têm diversos usos, entre eles, a confecção de artesanatos, produção de óleos essenciais, utilização para fins madeireiros, medicinais, entre outros”, explica Caio Silva, biólogo do Mangal. “Quando os visitantes passam a reconhecer que utilizam esses recursos no seu cotidiano, passam a dar maior importância à conservação dos mesmos”, frisou.

Conscientização – O principal alvo da educação ambiental prestada pela equipe de monitores do Mangal é o público infantil. “Para as crianças apresentamos temas relevantes como a biodiversidade, poluição, biopirataria, entre outros. Desta maneira, formamos agentes multiplicadores, que irão transmitir o que aprendem no Mangal para seus pais, parentes e amigos, alcançando assim um número maior de pessoas”, finalizou o biólogo.

Como agendar uma visita – O agendamento da visita monitorada pode ser realizado diretamente pelo site do Mangal, ou através do envio de ofício para o endereço eletrônico: agendamento@mangalpa.com.br. As visitas podem ser feitas de terça a sexta-feira, nos horários das 9h, 10h30, 14h30 e 16h.

Por Beatriz Pastana/Agência Pará

Onde fica
R. Carneiro da Rocha, s/n – Cidade Velha, Belém – PA, 66020-160

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here